Sistema desenvolvido pelo Grupo Acquaplan monitora acessos ao Porto de Paranaguá com precisão e eficiência

05/07/2016 Categoria: Geral
Simport1

O monitoramento detalhado e em tempo real das correntes marítimas na baía de Paranaguá é imprescindível para o bom funcionamento de um Complexo Portuário. Resulta em dados importantes que auxiliam de forma precisa à TCP – Terminal de Contêineres de Paranguá, nos processos de tomada de decisão e gestão.

Na baía de Paranaguá, a intensidade das correntes influenciam diretamente no bom andamento das operações portuárias. O SIMPORT monitora e informa os usuários sobre as condições oceanográficas e assim auxilia na navegação uma vez que existem condições ambientais que tornam críticas as manobras de navios que adentram a bacia de evolução. Estas condições oceanográficas implicam na variação do nível da baía e afetam diretamente a entrada e saída de navios ao terminal. Monitorar essa variação, portanto, tem importância fundamental no planejamento e na execução das manobras portuárias (atracação, desatracação e navegabilidade).

Isso é feito por um medidor de correntes, ou correntógrafo, que faz o monitoramento da velocidade e direção da corrente. Mas para se ter maior precisão nos dados, é importante que o correntógrafo também disponha de um equipamento mais sofisticado, o ADCP, que mede as correntes em estratos da coluna da água, apurando a eficácia dos dados.

Em busca dessa precisão, a TCP encontrou em Santa Catarina a solução para as suas operações portuárias. O Sistema de Oceanografia Operacional Portuário – SIMPORT foi desenvolvido pela empresa Acquaplan, de Balneário Camboriú. Uma tecnologia aprimorada para auxiliar as atividades de operação portuária e garantir maior precisão, eficiência e rápida disponibilidade dos dados, através da internet ou aplicativos acessíveis por tablets e celulares, em tempo real.

Está instalado há cerca de três anos junto à TCP, entre o final do canal de acesso ao complexo portuário e a entrada da bacia de evolução, região considerada a mais crítica, onde se localizam as rochas Palanganas. “O sistema possibilitou a otimização das manobras, de modo a diminuir o tempo em que o terminal fica parado aguardando a saída de um navio e entrada do próximo, e principalmente garantindo a segurança requerida às operações portuárias. Desse modo, é possível operar mais navios dentro do mês, gerando uma maior receita para todo o complexo portuário”, explica Luiz Carlos Narok, gerente institucional e ambiental da TCP.

Como funciona

O SIMPORT é composto por ADCP e estação meteorológica instalados em boias de sinalização náutica em local definido estrategicamente com os principais usuários do canal. Por meio dele, as condições ambientais são disponibilizadas aos interessados via internet em tempo real, praticamente de forma instantânea.

A empresa Acquaplan mantém em Paranaguá uma central de controle do sistema SIMPORT, onde as observações são avaliadas constantemente por oceanógrafos especializados em hidrodinâmica. Os dados coletados pelo correntógrafo são enviados por meio de telemetria à central de controle através de ondas de rádio e celular. Os dados recebidos em tempo real são avaliados constantemente e possibilitam que a equipe do SIMPORT verifique, por exemplo, as condições de bateria e inclinação do equipamento, entre outros parâmetros de qualidade dos dados requisitados.

A qualidade e a confiabilidade dos dados são monitoradas em tempo real, seguindo padrões internacionais de qualidade. São realizadas manutenções periódicas em todo o conjunto de equipamentos, garantindo assim a confiabilidade dos dados e a funcionalidade de todo o sistema.

“É grande a confiança e a eficiência no sistema, que tem aplicabilidade em regiões onde a navegação é crítica, especialmente regiões portuárias do país. A TCP recomenda o uso do sistema para terminais portuários, autoridades portuárias e Praticagem”, diz o gerente o gerente institucional e ambiental da TCP, Luiz Carlos Narok.

Saiba mais acessando www.grupoacquaplan.com.br ou ligando no (47) 3366-1400.